fbpx

Vida pessoal e profissional: como ter equilíbrio?

Nos últimos anos, as pessoas têm trabalhado cada vez mais e encontrado menos o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Pensa-se que os profissionais no Brasil trabalham em média 43,5 horas por semana, ou 8,7 horas por dia.

Este número é maior que as médias em nações como Dinamarca, França e Estados Unidos, que são de 38,3, 40,5 e 43 horas, respectivamente. É um desafio combinar trabalho e vida pessoal no mundo atual de ritmo acelerado, independentemente da posição, função ou idade.

Vale ressaltar que, além das horas regulares de trabalho, os profissionais têm gasto em cursos especializados e idiomas, entre outras coisas, a fim de assegurar posições significativas em suas organizações.

Apesar destes obstáculos, é possível e vital encontrar um equilíbrio entre os dois mundos. Esta prática ajuda a melhorar a qualidade de vida, a produtividade e, é claro, a evitar problemas pessoais e profissionais na carreira. Além disso, manter um senso de equilíbrio no trabalho pode ajudar a aumentar a satisfação no trabalho.

Para ajudar você, elaborarmos este artigo para você saber como ter equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Boa leitura!

Vida pessoal e profissional: como ter equilíbrio?

  1. Não se culpe pelo ócio

Milhões de indivíduos estão estressados e ansiosos como resultado do ambiente agitado de hoje.

Deixar-se pausar e descansar regularmente pode ajudá-lo a refrescar sua jornada profissional.

Entenda o valor do lazer, não fazendo nada ou passando o domingo assistindo séries de TV. A mente, também, requer descanso.

  1. Busque mais tempo para passar com seus entes queridos

A princípio trabalhar e fazer outras atividades no ambiente doméstico permite aos profissionais passar mais tempo com suas famílias, compartilhar refeições e monitorar o desenvolvimento de seus filhos.

Entretanto, as pessoas que acham mais simples praticar a autogestão, evitar ladrões de tempo, delegar quando apropriado e necessário, saber dizer não e buscar ajuda da liderança antes que a situação se torne intolerável têm mais probabilidade de colher estes benefícios.

  1. Atenção a menos exposição às pressões encontradas no local de trabalho físico

Alguns funcionários observaram que trabalhar em casa alivia o estresse do local de trabalho físico, o que é correto.

Entretanto, devemos ter em mente que sempre haverá pressão nas empresas que queiram se desenvolver, inovar e permanecer competitivas. Sinto que isso tem o potencial de nos motivar na dose correta.

Portanto, mesmo que você prefira um ambiente mais estável, recomendo que você pratique quatro táticas para funcionar sob pressão diariamente.

A este respeito, meu conselho é que não entre em pânico quando confrontado com uma circunstância estressante; quebre a solução em etapas; mapeie as pessoas que podem ajudá-lo se possível; e busque uma ação corretiva.

A satisfação no local de trabalho é um objetivo mensurável, e não apenas uma ideia abstrata, contrária à crença popular.

No entanto, para isso, a organização deve ter objetivos e valores claramente definidos, bem como estratégias sólidas para atrair e reter indivíduos que compartilhem desses valores.

Os profissionais também devem avaliar suas afinidades com a organização, bem como sua remuneração e benefícios, enquanto avaliam uma proposta de trabalho.

Os líderes irão gerar organicamente defensores da marca dentro da organização como resultado destas salvaguardas, e os profissionais sempre terão uma causa para se levantar às segundas-feiras.

E, isso é excelente, por que quase ninguém procura um novo emprego ou um novo profissional a menos que seja uma situação em que todos ganham, certo?

  1. Saiba dizer não

A grande maioria dos indivíduos luta para dizer “não”, o que é um grande entrave à produtividade e à gestão do tempo.

É inevitável que não haverá organização ou que a quantidade de tempo gasto no escritório se expandirá se você aceitar consistentemente as exigências. Afinal de contas, como você pode lidar com tudo de uma vez?

Como resultado, é fundamental que as pessoas entendam como dizer “não” quando necessário. Há um limite para tudo!

  1. Esteja ciente de suas escolhas

As escolhas fazem parte da vida, e nós pagamos um preço por elas.

Portanto, se você assumiu mil e uma responsabilidades no trabalho, você deve estar ciente de que sua vida pessoal será posta em risco. Isto, entretanto, não deve ser visto como uma punição, mas sim como uma consequência.

Mesmo assim, é crucial lembrar que nunca é tarde demais para mudar uma circunstância insuportável. Pise nos freios se você estiver se sentindo cansado. Sua mente e seu corpo vão apreciar isso.

  1. Desconecte-se

Com o crescimento da tecnologia, agora é comum as pessoas deixarem seus telefones celulares constantemente conectados ao Facebook, LinkedIn e, em particular, aos calendários e e-mails corporativos. Você deve, entretanto, evitar que isso interfira com sua vida pessoal.

A ideia é desligar seu telefone o máximo possível, ou no mínimo, desligar as notificações.

Além disso, é encorajado ter um telefone corporativo e não dar seu número de telefone pessoal a clientes ou parceiros comerciais.

Isto pode levá-los a ligar ou enviar mensagens de texto tarde da noite ou nos fins de semana para resolver dificuldades ou responder a consultas.

Lembre-se de que mesmo breves interações podem interferir com seu tempo de descanso, pois dificultam a desconexão.

O que você achou desse post? Deixe um comentário aqui compartilhando suas experiências ou dúvidas, irei adorar lhe responder! Boa sorte e até mais!

Agora é com você! Aproveite para conferir os cursos técnicos EAD do CPET.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco:

📱 Envie um WhatsApp ► //bit.ly/contatoCPET ou (11) 9 6056-8891

Siga o CPET nas redes sociais:

Curta nossa página no Facebook: //www.facebook.com/tecnicoscpet
Siga nosso perfil no Instagram: //instagram.com/cpet_cursos
Acesse nosso Twitter: //twitter.com/CpetCursos
11 de dezembro de 2021
PROPRIEDADE E COPYRIGHTS CPET - CENTRO DE PROFISSIONALIZAÇÃO E EDUCAÇÃO TÉCNICA - Desenvolvido por Márcio Barbosa